para você entra em forma com saúde

Carboidratos de Baixo Índice Glicêmico

Os carboidratos sempre foram vistos com vilões nas dietas de emagrecimento. Por isso, muitos cardápios sugerem cortes consideráveis nas quantidades de alimentos ricos em carboidratos ingeridos diariamente. Algumas dietas preveem, inclusive, a ausência completa desse nutriente durante períodos curtos de tempo.

Carboidratos de Baixo Índice Glicêmico

Entendendo o Índice Glicêmico dos Alimentos

Mesmo com a má fama, os carboidratos desempenham a importante função de fornecer energia para o organismo. Assim, cortá-lo inteiramente da alimentação pode acarretar problemas como cansaço e indisposição. Além disso, é comum que as pessoas voltem a ganhar peso depois de fazer uma dieta muito restritiva. O ideal, portanto, é consumir os alimentos energéticos em quantidades moderadas.

Atualmente, muito tem se falado sobre os carboidratos de baixo índice glicêmico. Eles são mais indicados para quem quer perder peso ou fortalecer a musculatura com treinos físicos, porque garante a liberação de energia de forma mais lenta. Na Dieta Low Carb, por exemplo, o cardápio inclui uma quantidade reduzida de carboidratos em relação a outras dietas, priorizando o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico.

Para que você entenda melhor o que é o índice glicêmico, é preciso analisar o processo de digestão como um todo. Os carboidratos são quebrados durante o processo de digestão e transformados em açúcar. Dessa forma, quando a absorção do carboidrato é mais rápida, o índice glicêmico, ou seja, a taxa de açúcar no sangue sobe. Por outro lado, se o processo ocorre vagarosamente é possível evitar os picos de glicemia.

Os carboidratos de baixo índice glicêmico também são chamados de complexo, justamente por que dão mais trabalho para o organismo durante a digestão. Eles são encontrados em alimentos integrais, como o arroz e a farinha não processados, cereais como a aveia, tubérculos como a batata doce, frutas como a maçã e vegetais como a cenoura crua e a abobrinha.

Já os carboidratos simples, que têm índice glicêmico mais elevado, são encontrados nas massas comuns, pão branco, batata e arroz refinado. De um modo geral, os carboidratos integrais são mais dificilmente absorvidos pelo organismo devido à presença das fibras alimentares. Como as versões refinadas tem baixo teor de fibras, o índice glicêmico se torna maior.

Outro ponto importante a ser destacado é que os alimentos ricos em gorduras boas, como o azeite e a castanha-do-pará, quando consumidos com carboidratos dificultam a sua absorção. Assim, sempre que combinamos os alimentos de forma correta, sempre acrescentando todos os grupos necessários à manutenção da saúde, fica bem mais fácil manter a boa forma.

Carboidratos Complexos Ajudam a Emagrecer?

Sim, isso se deve a sensação de saciedade trazida por esses alimentos. Quando comemos um carboidrato simples, ele libera a energia rapidamente e logo temos fome novamente. Com a ingestão de carboidratos complexos, a liberação prolonga a saciedade, diminuindo o apetite durante mais tempo.

A elevação do açúcar no sangue também está relacionada com o processo de ganho de peso. Se a taxa de glicose sobe, produzimos mais insulina. Esse estímulo à produção do hormônio não só pode causar o diabetes do tipo 2 como também faz com que o corpo acumule gordura, principalmente na região abdominal. Por isso, os carboidratos com baixo índice glicêmico contribuem para a manutenção do peso e para a redução da barriguinha.

Com todas essas informações, fica fácil concluir que os carboidratos complexos são mais saudáveis. A dica para quem está de dieta é apostar em cereais integrais, frutas e legumes com a casca, vegetais folhosos com os talos e muita água. Você até pode comer um pãozinho francês ou até mesmo um doce de vez em quando, desde que o cardápio, de forma geral, seja balanceado. As mudanças na alimentação certamente irão melhorar sua saúde e evitar o efeito sanfona.